Logo Buzz Marketing

Vamos conversar?

Rua dos Expedicionários, 568.

Cornélio Procópio – PR

CONTATO@SITEDABUZZ.COM.BR

(43) 3132-0671 / (43) 99689-0547

 

5 dicas para você aplicar no Black Friday 2018

BUZZ - Vendas em Alta Performance / E-commerce  / 5 dicas para você aplicar no Black Friday 2018

5 dicas para você aplicar no Black Friday 2018

Black Friday é o dia que inaugura a temporada de compras natalícias com significativas promoções em muitas lojas retalhistas e grandes armazéns.

É um dia depois do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, ou seja, celebra-se no dia seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro

sexta-feira , 23 de novembro, 2018

Faturamento na Black Friday 2018 deve crescer 15%, prevê Ebit

O número de pedidos deve registrar expansão de 6,4%, de 3,76 milhões para 4 milhões. O tíquete médio deverá ser de R$ 607,50, alta de 8%.

Fonte G1 / Ebit

Resultado da Black Friday 2017

Segundo dados do Ebit, a Black Friday 2017 gerou R$ 2,1 bilhões de faturamento para o e-commerce. Ao contrário do ano passado, onde apenas a sexta foi analisada, esse ano a metodologia considerou as compras efetuadas também na quinta-feira, pré Black Friday. Em 2016, a data faturou R$ 1,9 bilhões.

As vendas na quinta-feira representaram um faturamento de R$428,5 milhões, em 2017, contra R$355 milhões na pré Black Friday do ano passado – um aumento de 21%.

A análise do Ebit também mostra que o número de pedidos cresceu de 3,30 milhões para 3,76 milhões, enquanto o tíquete médio caiu de R$580,00 para R$562,00 (-3,1%). Ações promocionais nas categorias de maior valor agregado pelas varejistas podem justificar o crescimento no volume de pedidos, quase o dobro do estimado pela Ebit, e a retração do gasto médio.

As categorias mais pedidas em 2017 foram: Eletrodomésticos (16%), Moda e Acessórios (12%), Telefonia/Celulares (12%), Perfumaria e Cosméticos/Saúde (10%) e Casa e Decoração ( 9%).

Já as categorias que mais faturaram esse ano são: Eletrodomésticos (23%), Telefonia/Celulares (21%), Eletrônicos (17%), Informática (10%) e Casa e Decoração (6%).

Vamos as 5 dicas

1) Descubra quem é o seu público

Um bom planejamento será centrado em utilizar a inteligência de dados antes do desenvolvimento de qualquer peça. Onde está o cliente? Por meio de qual dispositivo ele prefere comprar?

“Uma vez mapeados os públicos e audiências, é possível criar formas mais eficientes de impactá-los no momento mais oportuno”

2) Mantenha o foco no longo prazo

De acordo com dados de pesquisa da consultoria Provokers, disponibilizados pelo Google, 78% dos consumidores voltaram a comprar na loja depois de fazer a 1º compra na Black Friday.

Ou seja, é preciso direcionar o Marketing Digital para a segunda venda. “Uma experiência positiva de compra aumenta as chances de um retorno.

Ignorar o poder de efetivação de vendas no longo prazo é um enorme desperdício!”, diz a especialista.

3) Dados valem ouro

A Black Friday é uma fonte de informações valiosas para o negócio. Por isso, é importante considerar no planejamento o monitoramento e a organização dos dados captados.

“Compreender como os clientes chegaram até você, por meio de quais canais, é essencial para o relacionamento futuro”

São eles que vão ajudar a gerar o lifetime value, uma das métricas mais importantes.

4) Use a Black Friday como parte da estratégia

O consumidor tem hoje uma jornada de compra orgânica, e não se guia apenas por um evento ou uma promoção. Não adianta apostar todas as fichas somente nas últimas horas ou na semana da liquidação.

A construção de uma estratégia efetiva de marketing para a Black Friday passa por diferentes momentos e por um caminho no qual não é possível pular etapas.

5) Reforce a presença da sua marca com antecedência

Nos dias mais próximos à Black Friday, por conta da maior demanda, os anúncios digitais em plataformas como o Google têm uma concorrência bem mais alta.

“É preciso trabalhar com antecedência e considerando sempre cada etapa da jornada, interpretando todos os sinais do público. Assim, a empresa/marca poderá se destacar e criar relações mais profundas com os consumidores”